Brincando com schemas no Cake 1.2

Introdução Eu pessoalmente, gosto de brincar em meus projetos com dois bancos, o MySQL e o SQLite, esse segundo, eu gosto muito pela leveza e praticidade, já que fica em um arquivo só, além de ser extremamente rápido.

O SQLite, admito que uso pouco, apenas para sites pequenos, mas durante o desenvolvimento, vou usando o MySQL, já que também gosto muito do PHPMyAdmin para administrar e gerar as tabelas, ainda não achei um a altura para o SQLite, mas acho que é apenas questão de tempo.

Gerando um schema Para exportar a estrutura atual do banco:

$ cake schema generate Utilizando um Schema Para criar a nova estrutura do banco:

$ cake schema -conection default run create Notas Ainda em tempo, se você se interessou em utilizar o SQLite em algum projeto, dois softwares legais são o phpSQLiteAdmin, bem ao estilo de adivinha quem? Outro é o SQLite Manager, uma extensão para o Firefox, quebra um galho…

Transparência sem Compiz

Tava procurando na net alguma forma de resolver o problema da falta de bordas, quando acionava o Compiz aqui no Debian Lenny, quando me deparei com a seguinte dica no blog do Lorenzo para obter o único efeito que eu uso no Compiz: a transparência real no terminal.

$ gconftool-2 –type bool –set “/apps/metacity/general/compositing_manager” “true” Facinho, facinho.. e cá estou eu, com o terminal transparente - vai por mim, se tu usa um o dia inteiro, como eu, vai te economizar alguns tantos “ctrl+tab”.

Essa foi du carai!

NetBeans IDE Early Access for PHP

Movido pela curiosidade que a tempos coçava minha cabeça, sobre o suporte a PHP no NetBeans, que inclusive, foi meu amigo Michel quem me falou, assim que vi o anúncio de lançamento no blog do Bruno, corri pra baixar e já tratei de tentar tocar um projeto nele pra ver no que dava.

De início confesso que achei o NB - sente a intimidade - bem diferentão, afinal, eu já estava acostumadíssimo com o Eclipse PDT, com o suporte a SVN e Javascript instalado certinho, teclas de atalho, tudo configurado.. enfim. A instalação foi bem tranquila, apenas setei as permissões do arquivo .sh e mandei executar o bicho, sussão. Em comparação com o Eclipse, eu não consegui definir se o NetBeans chega a ser mais leve ou pesado, mas a integração com as Classes e extensões do projeto foram simplesmente ótimas, mas bastando seguir o padrão Ctrl+espaço e pronto, uma lista com todos os métodos das classes vinculadas, e também setadas no include_path - que no meu caso, acrescentei a pasta lib do CakePHP e a pasta com as minhas “classes velhas de guerra”.

No shot ao lado, está a descrição, e os parâmetros do método “paginate” do Cake série 1.2.

A princípio, um único detalhe não me agradarou ao usar o NB, que foi em relação as Teclas de atalho. Pode ser falta de costume, ou burrice mesmo, mas eu não consegui trocar a tecla de atalho para excluir/duplicar a linha ou seleção corrente.

Mas em compensação, achei super legal a parte em que ele “separa” os arquivos de projeto (arquivos de configuração) dos fontes (no caso, os nossos scripts PHP, páginas HTML, Javascripts e etc), uma pasta a mais, porém, uma forma legal de se organizar e não se misturar ao projeto, como o Eclipse, que teima em criar os .project e etc, chaaaato.

O suporte nativo a controle de versão foi algo que realmente me agradou, pois nas última versão do Eclipse “all-in-one” que baixei, infelizmente não consegui instalar o plugin do SVN.

O cliente para MySQL, na guia Services, também é um grande um facilitador na hora de testar suas consultas SQL, com poucos cliques, você pode ir navegando entre suas tabelas, digitando SELECTs, e tudo mais, sem precisar abrir uma nova aplicação para isso, eu que gosto muito do PHPMyAdmin, também acho válida a opção de ter uma ferramenta já de prontidão para testes mais imediatos, sem a necessidade de se esperar toda uma segunda ferramenta carregar.

A identação e a colorização de código, me agradaram muito, pois acho que o Eclipse bagunça um pouco qdo se quer identar código HTML, ou mesmo Javascript (esse, eu nunca consegui).

Achei o editor uma ferramenta agradável para se trabalhar, e que ao mesmo tempo, não consumia tanto de minha máquina, com uma gama incrível de recursos e ao mesmo tempo, fácil de se adaptar e já saindo escrevendo código.

Enfim, para os que querem experimentar uma nova IDE, rápida e ao mesmo tempo poderosa, recomendo em cheio essa nova versão do NetBeans, aos acostumados a IDEs mas tradicionais, como Zend Studio e o próprio Eclipse, está aí uma mais uma ferramenta para auxiliar a produtividade no desenvolvimento de softwares em PHP.

Para mim, acho que achei meu editor ;)